Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Fundação Cidade de Lisboa

Estão abertas as portas da Web Summit 2017

É a maior conferência de empreendedorismo tecnologia e inovação da Europa, e arrancou hoje em Lisboa. Por estes dias, os olhos do mundo vão estar postos no Parque das Nações, o lugar onde tudo acontece. Coube ao Presidente da Câmara Municipal de Lisboa e ao Primeiro-Ministro a abertura oficial da segunda edição da Web Summit que decorre de 6 a 9 de novembro.

São quatro dias e mais de 60 mil participantes, oriundos de 170 países. Em Lisboa, os números voltam a impressionar: mais de 20.000 empresas, 1.500 investidores, 100 oradores, onde se destaca o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ou o ex-vice presidente norte-americano, Al Gore. Na capital europeia da tecnologia vão realizar-se 21 conferências em nove palcos principais com 2.500 jornalistas de 100 países, que irão colocar Lisboa nas bocas do mundo.

No dia do arranque da 2ª edição da Web Summit, o Altice Arena foi pequeno para acolher todos os que quiseram assistir aos primeiros momentos do evento e ouvir Fernando Medina reafirmar a parceria a longo prazo com a Web Summit "é um casamento com futuro", diz o Presidente da CML numa intervenção muito ovacionada.

E se na edição de 2016, Fernando Medina ofereceu a Paddy Cosgrave a chave da cidade, desta vez o autarca tinha outro presente reservado, um astrolábio que "significa,não só a renovação a aventura iniciada há 500 anos pelos navegadores portugueses, mas agora feita por toda a comunidade empreendedora mas também a importância para o futuro de uma cidade aberta e tolerante" e essa é, para o presidente da CML, a mensagem que Lisboa quer deixar ao mundo.

É a segunda vez que a Web Summit ultrapassa as fronteiras da Irlanda, o país em que a megaconferência foi criada por Paddy Cosgrave, em 2010. ”Uma boa aposta“ o criador do maior evento de tecnologia do mundo, que espera que o evento fique em Portugal pelo menos até 2020.

Na abertura e perante “um ambiente incrível com pessoas de todo o mundo" como fez questão de destacar, Paddy Cosgrave começou por pedir um aplauso para o país anfitrião. "A tecnologia está a virar o mundo ao contrário e o seu impacto está só a começar", disse Cosgrave para destacar a importância da conferência.

Um dos momento altos da tarde foi a intervenção do cientista Stephen Hawking que falou sobre inteligência artificial.

Também o primeiro-ministro, António Costa, subiu ao palco para afirmar que a Web Summit tem a capacidade de colocar Lisboa no centro dos grandes temas mundiais.

Por sua vez o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, tomou a palavra para abordar o impacto para a humanidade das alterações climáticas e da injustiça na distribuição de riqueza. 

O retorno financeiro esperado na cidade ronda 200 milhões de euros, tendo por base o que é gasto pelos visitantes em hotéis, táxis, restaurantes, etc;

A organização da conferência volta a promover, este ano, iniciativas paralelas ao evento, para os empreendedores conviverem e trocarem contactos, estando previstas 25 cimeiras sobre temas como código, dados, conteúdo, design, empresas, moda, tecnologia de saúde, marketing, dinheiro, música, sociedade.